segunda-feira, 24 de novembro de 2014

FESTA DO CAMARÃO E DO CHOPE: SEGUNDO E TERCEIRO DIA

A festa do camarão e do chopp está cada dia melhor. No sábado a camacho recebeu um grupo de pagode Combinado Silva.So e depois a Banda Inovatthi
A camacho trouxe nesse domingo o Cantor Jean Bastos tocando as melhores músicas do sertanejo universitário, na sequencia a animação ficou por conta da Banda Imperium tocando vários sucessos.




domingo, 23 de novembro de 2014

Festa Literária de Paranaguá terá lançamento de livros e biblioteca itinerante



A primeira Festa Literária de Paranaguá (FLIPA) acontecerá no período de 4 a 6 de dezembro, na Biblioteca Mário Lobo com uma extensa programação.

A Flipa será uma homenagem à escritora Ada Macaggi e começa com o lançamento do livro, noite de autógrafos da oficina literária "Traços" com exposição das fotos dos trabalhos da oficina e mais dois outros livros serão lançados durante a Flipa.

Durante a Flipa será feita a da assinatura do termo de doação da Bibliopraia que é uma biblioteca itinerante e que será aproveitada pela Fundação Municipal de Cultura (Fumcul) para levar o acervo de 1.200 livros para bairros de Paranaguá.

Palestra com Fábio Campana, Alice Ruiz e bate papo com autores parnanguaras serão atrações importantes quando serão discutidas questões relevantes voltados aos avanços literários no Paraná e em Paranaguá.

O evento contará com programação infantil através das contações de histórias, teatro de bonecos e teatro. Para os adultos, a escritora Marília Kubota vai ministrar a oficina de haicai (originário do japonês haikai, vocábulo composto de hai= brincadeira, gracejo e kai= harmonia, realização) representa uma forma poética, de origem japonesa, demarcada pela concisão e pela objetividade e o artista plástico André Serafim ministrará a oficina de História em Quadrinhos.

"Estamos entusiasmados com este evento e aguardando que toda a comunidade parnanguara aproveite toda a programação que estaremos oferecendo nos próximos dias", destacou a presidente da Fundação, Maria Angélica Lobo Leomil. Ela lembra que o segmento literário precisa de um incentivo e que a Flipa é vista como um evento que concentra esforços neste sentido. "O prefeito Edison Kersten determinou que a Fundação incentive todas as artes, por isso realizamos a Festa do Fandango, incentivamos o Festival do Teatro, realizaremos a Festa Literária, garantimos a participação dos artistas em vários eventos como a Feira da Lua, entre outros", destacou.

Programação
Confira a programação completa com horários e os eventos e programe-se, pois haverá eventos para todas as idades.

04/12 (Quinta)- 19h- Abertura da FLIPA
Abertura no Auditório da Biblioteca Mário Lobo com lançamento do livro e noite de autógrafos da oficina literária "Traços", dos alunos da rede estadual de Educação, e exposição dos trabalhos da oficina.
Discurso do Prefeito e patronesse da cultura com lançamento do livro e noite de autógrafo com a banda de música Duo Prog.

05/12 (Sexta)- 14h
* Programação infantil- apresentação circense, teatro de bonecos, contação de estória e teatro.
Salão de literatura infantil- das 14h às 15h; 15h15 às 16h15; 16h30 às 17h30; 17h45 às 18h45.
* Programação adulto: oficina de haicai com escritora Marília Kubota na Sala de Literatura Infanto-juvenil- 14h às 16h.
* Assinatura do Termo de Doação da Bibliopraia (Biblioteca Itinerante) com a presença do Secretário de Estado da Cultura, Prefeito de Paranaguá e presidente da Fundação Municipal de Cultura- 15h
* Programação infanto-juvenil: ilustração e História em Quadrinhos com artista plástico André Serafim na sala do auditório- 16h às 18h
* Lançamento do livro da escritora Marília Kubota no hall de entrada da Biblioteca Mário Lobo: 16h30 às 17h30
* Palestra e bate papo com escritor e jornalista Fábio Campana
Auditório da Biblioteca Mário Lobo- 20h
Mediador: Marcela Bettega

06/12 (Sábado)- 14h
* Contação de história em parceria com a Biblioteca Pública do Paraná.
Sala de literatura infantil- 14h às 15h; 15h15 às 16h15; 16h30 às 17h30.
* Oficina de Ilustração e História em Quadrinho com artista plástico André Serafim.
Auditório: 15h às 17h
* Bate papo com autores parnanguaras Camila Fortunatto, Kátia Muniz
Mediadora: Luciane Chiarelli
Auditório: 18h às 19h
* Lançamento do livro "Contos da Carne" do escritor Paulo Ras
Hall de entrada da Biblioteca Mário Lobo- 19h às 20h
* Palestra e bate papo com escritora Alice Ruiz
Auditório: 20h às 22h

terça-feira, 11 de novembro de 2014

Com apoio do Estado, cidades do Litoral revitalizam orlas, avenidas e ruas

Com-apoio-do-Estado-cidades-do-Litoral-revitalizam-orlas-avenidas-e-ruasOs investimentos do Governo do Estado em melhoria de infraestrutura urbana nos municípios do Litoral somam mais de R$ 23 milhões, em pouco mais de um ano. As obras, que vão deixar as cidades mais bonitas e seguras para moradores e veranistas, atendem a antigas reivindicações e já estão, na sua maioria, com cerca de 90% dos trabalhos concluídos. A construção de calçadas em Pontal do Paraná já está pronta.

“Estão sendo atendidas demandas de mais de 20 anos”, afirma a prefeita de Guaratuba, Evani Cordeiro Justus. “Além de embelezar as cidades, as pessoas terão melhor qualidade de vida, tanto moradores como veranistas”, diz ela.

Em Guaratuba estão sendo investidos R$ 11 milhões, dos quais R$ 5,8 milhões a fundo perdido, pelo Programa de Transferências Voluntárias da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Urbano.

Com estes recursos, que não precisarão ser devolvidos ao governo estadual, estão sendo realizadas obras de urbanização da orla, na avenida Atlântica, com construção de calçadas. Também estão sendo pavimentadas a avenida Brejatuba, entre as ruas 13 de Maio e República Del Paraguai, e diversas outras vias urbanas de Guaratuba.

Pelo Sistema de Financiamento aos Municípios (SFM) são R$ 5 milhões, aplicados, também, em pavimentação e construção de calçadas. Estão sendo melhoradas as ruas João Leopoldo Santana (entre avenida Paraná e rua Tomazina), Ilha das Garças (entre Octaviano de Carvalho e Avenida Mafra), avenida Mafra (entre Guaíra e Joinville), Joinville (entre Octaviano H. de Carvalho e Alves Correa) e Coronel Carlos Mafra (entre Randolfo Bastos e Tibagi).

PONTAL DO PARANÁ - O município recebe mais de R$ 1 milhão em investimentos, a fundo perdido, com recursos do Programa de Transferência Voluntária da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Urbano.

Está sendo urbanizada a orla na avenida Deputado Anibal Khury, entre rua do Comércio e rua Charles Miller, no Bairro Ipanema. Além de calçadas, a orla ganha pistas para caminhadas, sinalização adequada e grama. Também estão em andamento as pavimentações asfálticas nas avenidas Tom Jobim (entre a rua Cazuza e rua Mazzaropi) e Santa Mônica (entre a PR-407 e Rodovia Engenheiro Argus Tha Heyn até a Avenida Copacabana).

MATINHOS - Em Matinhos, o investimento soma R$ 10 milhões, dos quais R$ 2,7 milhões para a reforma do Ginásio de Esportes Vicente Gurski, o Cascatão, que já tem 60% das obras prontas. O espaço será usado pela comunidade e para grandes eventos esportivos, inclusive com a presença de atletas de seleções, como a de vôlei e basquete. A capacidade é para 3 mil pessoas sentadas

O prefeito de Matinhos, Eduardo Dalmora, afirma que as atividades no Cascatão vão mudar a vida de muita gente, principalmente de jovens e adolescentes. “Vamos usar o espaço para o contraturno escolar com aulas de capoeira, taekwondo, karatê, skate, vôlei e basquete”, afirma ele. “Vamos retirar nossas crianças e jovens das ruas.”

Matinhos tem garantidos, ainda, mais R$ 7,2 milhões para a revitalização da orla de Caiobá, com construção de calçadas. A obra é na avenida Atlântica, entre avenida Augusto Blitskow e canal da Avenida Paraná. A autorização final aguarda a liberação da Secretaria do Patrimônio da União em Brasília.

ANTONINA – A prefeitura de Antonina recebeu R$ 838 mil, dos quais R$ 289 mil pelo Plano de Apoio ao Desenvolvimento dos Municípios (PAM), que não precisam ser devolvido aos cofres públicos do Estado. O recurso foi usado para a compra de uma escavadeira hidráulica. Outros R$ 549 mil, do Programa de Apoio à Aquisição de Máquinas e Equipamentos Rodoviários para as Prefeituras (Promap), foram investidos na compra de um caminhão caçamba basculante e uma pá carregadeira sobre rodas.

sábado, 1 de novembro de 2014

Feira Literária mostra trabalho produzido pelos alunos das escolas municipais de Paranaguá

A Prefeitura de Paranaguá, por meio da Secretaria Municipal de Educação e Ensino Integral e a Fundação Bunge realizaram a Feira Literária com o tema "A imaginação viajando na ilustração".
O evento aconteceu no último dia 30, no Ginásio de Esportes "Dr. Joaquim Tramujas" com apresentação artística dos alunos, dramatização, teatro e recital de poesias, além da exposição de livros, murais, oficinas e maquetes.

Em cada stand eram feitas indicações literárias, pois alunos de várias escolas municipais passaram pela Feira Literária durante o evento.
A secretária municipal de Educação, Hilda Werner, destacou que a leitura enriquece as crianças de conhecimento e o objetivo é ampliar o incentivo ao acesso a livros. Destacou a participação de 21 escolas na Feira Literária, sendo 19 escolas em tempo integral e duas polos que são aquelas onde estão instaladas as bibliotecas doadas pela Fundação Bunge que é Iná Xavier e Manoel Viana.

Ismael Pires Neto, representante da Bunge em Paranaguá, presente ao evento disse que a empresa "incentiva a formação dos voluntários, ao mesmo tempo que incentiva as crianças a adquirirem conhecimento".

A presidente da Fundação Municipal de Cultura, Maria Angélica Lobo Leomil ficou satisfeita com a realização do evento que une a cultura e a educação. Cristina Santos, assessora da Dra. Terezinha Kersten, secretária municipal de Saúde, esteve acompanhando o evento.

Durante a Feira Literária, os alunos da Escola Municipal Maria Trindade foram as responsáveis por entoar o Hino de Paranaguá.

Participam do projeto a Secretaria Municipal de Educação, Bunge Alimentos e Fertimport S/A com atividades e incentivo à leitura nas escolas municipais Arminda de Souza Pereira, Castelo Branco, Dr. Aníbal Ribeiro Filho, Edinéia Marize Garcia, Eloína Vianna, Francisca Pessoa Mendes, Gabriel de Lara, Graciela Almada Diaz, Hugo Pereira Corrêa, Iracema dos Santos, João Rocha dos Santos, Luiz Andreoli, Maria Trindade da Silva, Nascimento Júnior, Sully da Rosa Vilarinho, Randolfo Arzua, Rosiclair da Silva Costa, Takeshi Oishi, além das duas escolas polos já mencionadas.

Acidente de ultra leve em Pontal do Pananá

Ocorreu na tarde deste sábado(01), no Balneário Atami, em Pontal do Paraná, um acidente com um ultra leve, onde resultou com a morte de Alcione Joaquim da Silva, 52 anos. Alcione, que era de Paranaguá. estava praticando nas praias quando acabou colidindo na rede de alta tensão e caindo em uma casa em construção.

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Aniversário de Morretes

A Prefeitura e a Câmara Municipal de Morretes têm a honra de convidar os leitores do Pontal Notícias para participarem das comemorações alusivas aos 281 anos do aniversário de fundação de MorretesExibindo

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Coluna do Renan Pavan N°01-Out/2014


Todas as guerras deixaram consequências boas e ruins para sociedade, boa no caso do conhecimento, busca de melhores tecnologias, melhoramento na economia, maquinas especializadas e maior eficiência na mão de obra e começo da qualidade total. Ruins porque deixaram sociedades afetadas completamente destruídas psicologicamente, moralmente e economicamente.  Através destas guerras surgiram vírus devastadores  que talvez foi injetado através de explosões da primeira ou segunda guerra mundial, porem alguns países com maior conhecimento sabiam que isso poderia acontecer, antes mesmos destas bombas serem “ jogadas no mundo’’ em estudos mostravam qual a consequência para uma população, no caso radiação e bactérias .  Com isso no final do século XIX surge assim as primeiras indústrias farmacêuticas para fazer estudos sobre esses vírus que destroem o mundo. De acordo com site (http://www.empregoerenda.com.br/), no ultimo ano foi movimentado 752 bilhões de dólares em remédios, tudo isso para curar do homem no mundo.Assim pode-se perceber que afinal de cada guerra mundial novas doenças surgem e a indústria se renova para suprir com medicamentos novos grandes gastos porem com lucros monstruosos. 52% das vacinas quando explorada não são testadas em humanos.  Abaixo histórico de doenças e vacinas geradas nas guerras;

PRIMEIRA GUERRA MUNDIAL ( 1914 – 1918)

Abrigados em trincheiras, os soldados enfrentavam, além de um inimigo sem rosto, chuvas, lama, piolhos e ratos. Eram vitimados por doenças como a tifo e febre quintana, ou febre das trincheiras (transmitida por piolhos), quando não caíam mortos por tiros e gases venenosos. Mas a situação naquela Europa transformada em campo de batalha da Primeira Grande Guerra Mundial, pioraria ainda mais em 1918. Tropas inteiras griparam-se, mas as dores de cabeça, a febre e a falta de ar eram muito graves e, em poucos dias, o doente morria incapaz de respirar e com os pulmões cheios de líquido.  Em carta descoberta e publicada no British Medical Journal quase 60 anos depois da pandemia de 1918-1919, um médico norte-americano diz que a doença começa como o tipo comum de gripe, mas os doentes “desenvolvem rapidamente o tipo mais viscoso de pneumonia jamais visto. Duas horas após darem entrada (no hospital), suas maçãs do rosto mostram manchas castanho-avermelhadas, e mais tarde pode-se ver a cianose estendendo-se por toda a face, a partir das orelhas, até que se torna difícil distinguir o homem negro do branco. A morte chega em poucas horas e acontece simplesmente como uma falta de ar, até que morrem sufocados. É horrível. Pode-se ficar olhando um, dois ou vinte homens morrerem, mas ver esses pobres-diabos sendo abatidos como moscas, deixa qualquer um exasperado”. A gripe espanhola – como ficou conhecida devido ao grande número de mortos na Espanha – apareceu em duas ondas diferentes durante o ano de 1918. Na primeira, em fevereiro, embora bastante contagiosa, era uma doença branda, não causando mais que três dias de febre e mal-estar. Já na segunda, em agosto, tornou-se mortal. Enquanto a primeira onda de gripe atingiu especialmente os Estados Unidos e a Europa, a segunda devastou o mundo inteiro: também caíram doentes as populações da Índia, Sudeste Asiático, Japão, China e Américas Central e do Sul.
Com isso as pessoas contagiadas tinham que ficar isolados porque não obtinham vacina contra a doença.

ISOLAMENTO
Descobertas científicas para salvar pessoas na primeira guerra;
·         Penicilina: Enzima antibiótica que atacava vários tipos de bactérias. 
·         Morfina: Contra a dor intensa muito utilizada no guerra porem criada em 1804 
·         Álcool etílico: Antisséptico e anestesiante.
·         Transfusões de sangue.
Valor movimentado das indústrias farmacêuticas (1914 – 1920)

. 208 bilhões de dólares.
. 80% do remédio mundial nesse período foi desenvolvido pelos Alemães.
. dados obtidos através do site ( http://noticias.terra.com.br/educacao/segunda-guerra/  http://periodicos.homologa.uniban.br/ ).


SEGUNDA GUERRA MUNDIAL  (1939-1945)

Com o desenvolvimento de armas nucleares e biológicas a segunda guerra trouce um prejuízo muito grande para a população mundial deixando epidemias ate hoje no mundo e desenvolvendo novos vírus que estes mesmo sendo analisados pelos americanos e sabiam da sua consequência foram  lançados no mundo.
Doenças desenvolvidas na segunda guerra:
Varíola: A contaminação acontece pela respiração e é um vírus transmitido pelo ar. A doença tem os mesmo sintomas da gripe e o vírus se estabelecia na garganta e causava mal-estar, dor nas costas, dor de cabeça, e abatimento.
Ebola: É uma das doenças transmissíveis mais temíveis, e sem tratamento, a mortalidade é de 100%. Depois da contaminação a pessoa passa a ter dores de cabeça, falta de ar, diarreia junto com sangue. A morte acontece depois de duas semanas, era transmitida de pessoa por pessoa, através da respiração, catarro, secreção. A doença é letal.
Peste Bubônica: usada como arma biológica à peste bubônica, também era uma doença de grande mortalidade. A peste poderia ser espalhada por mísseis, bombas ou através de uma pulga infectada. 50kg de esporos desta doença é necessário para contaminar 5 milhões de habitantes. Em uma semana a doença já pode levar a mortalidade. O tratamento é através de antibióticos, e é mais comum em regiões do Oriente Médio que o vírus é cultivado com extrema facilidade.
Anthrax: O Anthrax contamina o ar, a água, o solo, e os alimentos. A doença contamina os pulmões, deforma a pele. Tem sintomas parecidos com o da gripe. Em cinco dias, pode levar a morte, para prevenir a doença é necessário equipamentos respiratórios, e é necessário também cobrir o corpo com duas camadas de roupa para que a doença não tenha contato com o corpo da pessoa.
Toxina Botulínica: A toxina é uma das doenças mais perigosas conhecida pelo homem, provoca sintomas de paralisia, falta de ar, e não tem tratamento, a morte na maioria das vezes é fatal. Pode ser transmitidas através de alimentos contaminados, depois de 36 horas a doença já é espalhada e a morte pode acontecer depois de 48 horas.
Bioterrorismo: É a liberação de produtos químicos ou agentes infecciosos que prejudicam a saúde e o meio ambiente, é liberado ao ar ou através da contaminação de centrais de abastecimentos de água para a infecção dos habitantes de países, com maio facilidade de transmitir doenças.

Descobertas científicas para salvar pessoas na primeira guerra;
·         Quinina: é um alcalóide de gosto amargo que tem funções antitérmicas, antimaláricas e analgésicas.
·         Vacina para tifo: Tifo é o nome genérico de várias doenças infectocontagiosas, classificadas como riquetsioses por serem causadas por bactérias do gênero Rickettsias. A maior parte dessas bactérias se desenvolve num reservatório animal e é transmitida ao homem pela picada de insetos infectados
·         Pólio: Poliomielite é uma doença gravemente debilitante que pode deixar uma criança paralisada para a vida. Nos anos seguintes à Segunda Guerra Mundial, a poliomielite foi a doença mais temida entre os pais nos Estados Unidos.
·         Difteria: Difteria já foi uma temida doença bacteriana.
Valor movimentado das indústrias farmacêuticas (1939 – 1945 )
·         395 bilhões de dólares



     Com essas informações podemos detectar que o numero de ameaças a saúde humana vem se alastrando de forma rápida porem produzida por armamentos tóxicos e ofensivos para o ser humano. Em toda a historia do mundo sempre que há um aumento de  índice populacional grande de forma exagerada acontece uma doença matando varias pessoas. Talvez seja porque o mundo não suporte tanta produção? Talvez porque estamos suprindo de uma mercadoria que era para abastecer a população americana? Talvez porque alguma economia esta passando a américa? Sempre que há relatos de doenças no mundo o Estados Unidos da América arruma a vacina antes que qualquer outro país, vendendo assim para estes o medicamento ao preço alto melhorando sua economia e giro de dinheiro. Hoje com a doença ebola atingindo o mundo, talvez um vírus solto por algum homem no rio ebola ou comunidade africana, os EUA já estão desenvolvendo vários remédios, testes no continente africano. Será que esse remédio, cura não estaria pronto? EUA estaria esperando baixar o índice populacional do mundo, para depois cobrar mais alto das outras nações para melhorar sua economia e imposição no mundo? Em todas as guerras que os americanos entram deixam vírus que destroem a população local e depois eles mesmos voltam para curá-los.
No ano de 1976 surge o então nome para a doença Vírus ebola, por curiosidade as guerras civis começam na África em 1970 e as tropas da ONU vão para os países africanos para tentar combater as guerras, porem percebesse que a muitas pessoas sem comida, miseráveis e a ONU acaba ajudando essas pessoas porem são muitas que necessitam de ajuda assim em 1975 no então rio ebola as tropas americanas se instalam por la e no mesmo ano em novembro as tropas saem de lá. E então em 1976 a doença surge para o mundo com um agravante porem pouco seria e o mundo não ligava muito. Hoje há uma epidemia Africana se tornando mundial. Não descobrem a cura para a doença e de acordo com o site correiobraziliense.com.br mais de 3000 pessoas foram mortas, a ONU afirma que será gasto mais de 1 Bilhão de dólares para combate da doença (www2.correiodopovo.com.br/Noticias/?Noticia=535894).
Remédios são preciso no mundo todo porem algumas doenças são geradas em laboratórios assim como os remédios tudo para algumas indústrias farmacêuticas obterem lucros e vantagem. Nações já tem o diagnostico pronto, mas preferem jogar na mídia que estão desenvolvendo o antidoto.